Terça, 26 Outubro 2021 19:04

Polícia Civil garante atendimento à pessoas com deficiência Destaque

Escrito por Sandra Lima
Polícia Civil garante atendimento à pessoas com deficiência PCRR e Fernando Oliveira

Por dois dias o Governo de Roraima, por meio da Polícia Civil de Roraima realizou uma ação social voltada às pessoas com deficiência, na Associação Anjos de Luz. Foram realizados atendimentos como emissão de carteiras de identidade, palestras sobre violência, registros de Boletins de Ocorrências e atendimento às vítimas de violência pela equipe da DPIPNE (Delegacia de Proteção ao Idoso e Pessoa com Necessidade Especial).

A ação aconteceu nos dias 25 e 26 e foi coordenada pelo DPE (Departamento de Polícia Especializada) e envolveu o IIOC (Instituto de Identificação Odílio Cruz) e a DPIPNE.

Durante toda a manhã desta terça-feira, o trabalho foi acompanhado pelo delegado Geral, Herbert de Amorim Cardoso e pela primeira dama Simone Denarium.

Ao todo, 100 pessoas solicitaram a Carteira de Identidade. De acordo com a diretora do DPE, delegada Elivânia Aguiar, a ação foi solicitada à Delegacia Geral de Polícia, pela presidente da Associação Anjos de Luz, Maria das Dores e representa uma maior aproximação com a comunidade.

“É uma oportunidade para a Polícia Civil se aproximar ainda mais do cidadão e identificar demandas inerentes às pessoas com deficiência”

A presidente da Associação Anjo de Luz, Maria das Dores, destacou a importância da ação social, apontando que foi identificado que os deficientes atendidos pela associação têm dificuldades para se locomover em busca dos documentos.

“Como representante da Anjos de Luz estou muito feliz, pois a Polícia Civil está fazendo a ação aqui, em nosso espaço. Percebemos que além do problema de locomoção, quando os deficientes vão ao Instituto de Identificação, eles têm dificuldades de informar o tipo de deficiência que têm para colocar no documento. Hoje percebemos que a Polícia Civil de Roraima está mais próxima da pessoa com deficiência”, disse.

Para o delegado Geral, levar os serviços da Polícia Civil ao cidadão é muito gratificante e de extrema importância.

“É um direito de cidadania e faz parte do programa RG na Mão, lançado pelo governador Antonio Denarium, que vem tendo uma grande aceitação por parte da sociedade. Estamos indo nas escolas, nas associações, como a Anjos de Luz, nos municípios. Alteramos o horário de atendimento no Instituto de Identificação, que agora começa às 7h30 até às 19h30. Tudo isso para aproximar ainda mais a Polícia Civil do cidadão”, disse.

Cardoso afirmou que uma equipe da Polícia Civil dará um treinamento aos colaboradores da Associação, para orientá-los quanto ao registro de Boletim de Ocorrência Virtual.

“A pessoa com deficiência não precisar ir somente na Delegacia Especializada para registrar o Boletim de Ocorrência, pode registrar em qualquer distrito e, também, pela Delegacia Virtual”, explicou, acrescentando que com a orientação aos colaboradores da Associação, eles poderão auxiliar ainda mais os associados.

A primeira dama do Estado, Simone Denarium, destacou o trabalho desenvolvido pela presidente da Associação Anjos de Luz, Maria das Dores, em prol da pessoa com deficiência em Roraima. Destacou em 5 de outubro, durante a comemoração do aniversário do Estado, foram lançados vários projetos, entre eles, o primeiro Parque Inclusivo, que será construído no Parque Anauá.

“É importante destacar a importância da inclusão social. O Governo de Roraima vem trabalhando para atender às pessoas com deficiência. E a ação social na Associação Anjos de Luz, leva mais cidadania a essas pessoas, principalmente com a entrega da carteira de identidade”, finalizou.

Foram entregues de forma simbólica, documentos para 30 pessoas, atendidas na segunda-feira. Os demais documentos serão entregues na Associação Anjos de Luz. A dona de casa Daiane Pereira Alves, aproveitou a oportunidade para levar o filho, o pequeno Gael Henri, de nove meses de idade.

“Não poderia deixar de aproveitar a oportunidade para tirar o documento dele, pois facilita muito quando precisamos resolver alguma questão que necessite da identidade”, disse.