Com o objetivo de incentivar a prática do esporte na comunidade escolar, a Escola Estadual Caranã realizará neste sábado, 19, a I Corrida Estudantil. A concentração ocorrerá a partir das 16h em frente à instituição de ensino. A expectativa é que participem 600 alunos.

“Buscamos incentivar os alunos, pais, professores, servidores e comunidade em geral a participarem de uma tarde de lazer, saúde e qualidade de vida”, explicou a responsável pelo evento, professora Ana Cristina Falcão.

Os percursos serão de 500m e de 1km. Os alunos do 6° e 7° ano do Ensino Fundamental farão a prova de 500m e os alunos do 8°, 9° do Ensino Fundamental e da EJA (Educação de Jovens e Adultos) farão o percurso de 1km. Além dos alunos, participarão os professores dos três turnos da escola. Os vencedores do 1°, 2° e 3° lugares receberão medalhas.

No ato da inscrição, os alunos levaram 1kg de alimento não perecível, que será doado para pessoas carentes. “Além de promover a corrida, iremos ajudar pessoas que precisam graças às doações dos alunos”, ressaltou Ana Cristina.

Além de incentivar a prática esportiva, o evento irá comemorar o Dia das Crianças, Dia dos Professores e o Outubro Rosa (alusivo à Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama). Os participantes correrão com a fita simbólica da campanha.

Desde o inicio do mês, a escola vem realizando orientações sobre o Outubro Rosa, além de preparação com os alunos para participarem da corrida, como treinos e alongamentos.

Para a realização do evento, a escola conta com diversos parceiros, entre eles, Detran-RR (Departamento Estadual de Trânsito), SMTRAN (Superintendência Municipal de Trânsito), Exército Brasileiro, PMRR (Polícia Militar de Roraima) e Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima).

Publicado em DESTAQUES

O tema da Feira de Ciências Estadual deste ano é “Bioeconomia: Diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”. Diante disso, instituições de ensino estão promovendo feiras escolares com a mesma temática.

A Escola Estadual Euclides da Cunha (GEC) realizará na sexta-feira, 18, a XVII Feira de Ciências. O evento ocorre a partir das 8h, nas dependências da instituição de ensino, onde serão expostos 52 projetos.

O objetivo da Feira de Ciências é contribuir para a formação de cidadãos cientes e comprometidos com o desenvolvimento sustentável e com a importância da preservação dos recursos naturais do planeta.

“Os projetos são relacionados à sustentabilidade, possibilitando a conexão com as disciplinas, explorando a interdisciplinaridade, criando pontes nas mais diversas áreas do conhecimento, base fundamental das descobertas”, explicou a gestora da escola, Flávia Coelho.

Durante a preparação da Feira de Ciências, os estudantes realizaram pesquisas, confecção de maquetes, cartazes e outras atividades. Os projetos foram desenvolvidos pelos alunos do Ensino Médio.

A Escola Estadual Mário David Andreazza também promove, já nesta quinta-feira, 17, a IX Feira de Ciências. Serão expostos 20 projetos dos estudantes com temas como: “Fontes de energia renováveis utilizando elementos disponíveis na natureza”, “Consumo sustentável dos alimentos”, “Aquicultura em pequenos espaços”, “Adubos orgânicos x produtos químicos”, entre outros. A exposição será nos turnos matutino e vespertino.

Outras feiras

Também nesta quinta-feira, 17, a Escola Gonçalves Dias promove sua 27ª edição da mostra. Serão apresentados 26 projetos, no horário das 8h às 12h, nas dependências da escola.

A Escola Vitória Mota Cruz promoverá na sexta-feira, 18, a sua mostra. O evento ocorre das 7h30 às 11h e das 13h30 às 17h. Serão apresentados 15 projetos em salas temáticas.

No sábado, 19, será a vez da Escola Estadual Diva Alves de Lima apresentar a IV Feira das Ciências e Tecnologia nos turnos matutino e vespertino. Serão expostos 24 trabalhos com temas como: “Sabão sustentável”, “Malefícios do plástico para o meio ambiente”, “Como economizar e reutilizar a água”, “O papel que vira flor”, “Biomaquiagem”, entre outros.

Um dos objetivos da feira é conscientizar os alunos para criarem respostas, soluções, ou metodologias de relevância social para situações problemas de pequena ou grande escala, além de ampliar o conhecimento e a visão de mundo a partir de uma ótica científica.

Publicado em DESTAQUES

Autoridades públicas estão reunidas em Brasília para tratar de implementação de políticas que ajudem a melhorar a gestão de recursos dos estados que compõem a Amazônia Legal. O encontro será de três dias e teve início nesta quarta-feira, 16.

Padronização de procedimentos, levantamento de demandas em setores prioritários, alinhamento de condições jurídicas e técnicas de saúde, além da definição de mecanismos para simplificar aquisição de insumos e medicamentos são alguns dos temas que serão abordados no encontro, conforme explicou a secretária de Saúde de Roraima e coordenadora geral da Câmara Setorial da Saúde, Cecilia Lorenzom.

“Nossas prioridades são de estabelecer parâmetros que possibilitem, por exemplo, a criação do Programa Amazônia de Compras Compartilhadas. A nosso ver, são dois importantes instrumentos que podem ajudar na aquisição de medicamentos a um custo acessível para toda a Região Norte”, afirmou.

A logística de itens hospitalares para os estados do Norte também estão na pauta das discussões. Segundo Cecilia Lorenzom, a questão tem sido uma das grandes preocupações da Sesau (Secretaria de Saúde) em Roraima, uma vez que as demandas das unidades hospitalares da rede estadual não param de crescer.

“Com relação à logística, muitas das inserções de preços estão em decorrência da distância. Nosso intuito é beneficiar Roraima e os demais estados do eixo Norte, que contam ainda com de Mato Grosso e Maranhão”, completou.

SOBRE O CONSÓRCIO - Constituído em março deste ano, durante o 17º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizado na cidade de Macapá (AP), o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal é uma entidade autárquica interestadual que visa melhorar o planejamento das ações para o desenvolvimento dos estados da Amazônia Legal.

Na 2ª Reunião da Assembleia Geral do Consórcio, ocorrida em agosto deste ano, na cidade de Palmas (TO), os integrantes do Conselho de Administração e das Câmaras Setoriais realizaram a definição do plano estratégico das ações para o segundo semestre de 2019. Na ocasião, a secretária estadual de saúde, Cecília Lorenzom, acabou sendo escolhida como coordenadora da Câmara Setorial de Saúde.

O consórcio é formado por sete câmeras setoriais, sendo elas: Gestão Fiscal e Tributária, Saúde, Educação, Planejamento e Gestão Estratégica, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Comunicação Pública e Segurança Pública.

Publicado em DESTAQUES

Para avaliar a qualidade, a equidade e a eficiência da educação brasileira, no período de 21 de outubro a 1° de novembro ocorrerá em todo o Brasil o Saeb 2019 (Sistema de Avaliação da Educação Básica). A ação é coordenada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira).

O Saeb consiste na aplicação de provas nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática para os estudantes que estão nos últimos anos de cada etapa de ensino, ou seja, para os alunos do 5° e 9° ano do Ensino Fundamental e para o 3° ano do Ensino Médio (ou 4° ano no caso de cursos técnicos).

Realizado a cada dois anos, o Saeb 2019 traz novidades. Uma delas é a participação de uma amostra de turmas do 2° ano do Ensino Fundamental e a aplicação amostral de provas nas áreas de Ciências Humanas e Ciências da Natureza para turmas do 9° ano do Ensino Fundamental.

Outra novidade é a aplicação de questionários eletrônicos para os gestores escolares e impressos para os professores das disciplinas avaliadas. As turmas de Educação Infantil também fornecerão informações por meio de questionários eletrônicos.

Os resultados do Saeb servirão de subsídio para avaliar a qualidade do ensino ofertado nas escolas de todo o País. As provas são aplicadas em unidades de ensino de todas as redes: federal, estadual, municipal e particular.

“O objetivo do Saeb é avaliar a qualidade da educação brasileira para que possamos ter os indicadores e dados que vão subsidiar a elaboração das políticas públicas educacionais do País”, explicou Ticiane Luz, técnica da Seed (Secretaria de Educação e Desporto) responsável pela coordenação da avaliação.

Os resultados do Saeb também são utilizados para os cálculos do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). As informações educacionais das avaliações (Saeb e Ideb), bem como do Censo Escolar, são fundamentais para se ter um diagnóstico da educação do Brasil e a partir daí formular as políticas públicas para a melhoria da qualidade da oferta do ensino.

Publicado em DESTAQUES

Uma manhã de cuidados com a saúde para os servidores e facilitar a vida dos profissionais que integram a instituição. Foi o que ocorreu nesta quarta-feira, 16, na Seplan (Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento), que recebeu as atividades do programa Cuidando do Servidor - ação promovida pelo Governo do Estado, por meio da Escola de Governo da Segad (Secretaria de Gestão Estratégica e Administração), com apoio de entidades públicas e privadas.

O servidores da Seplan tiveram a oportunidade de contar com diversos serviços, como anamnese social, aferição de pressão, medição de glicose, vacinas (febre amarela, tríplice viral, DT, influenza, hepatite B), além de consultas de enfermagem, antropometria nutricional e diagnóstico dietético, cinética funcional e cinesioterapia na parte de fisioterapia.

Acompanhando da primeira-dama Simone Denarium, o governador Antonio Denarium, participou da ação e destacou que o programa percorre todas as secretarias com informações e atendimentos aos servidores efetivos, comissionados e federais, disponibilizando serviços preventivos à saúde realizados por profissionais e estagiários, com o objetivo de oferecer bem-estar e qualidade de vida a todos.

“É o Governo do Estado valorizando os servidores. É um programa implantado pela Segad, onde são oferecidos diversos serviços, desde propaganda de cursinhos preparatórios, a realização de vacinas contra gripe, sarampo, além também de testes físicos, aferição de pressão, ou seja, estamos trabalhando a valorização dos servidores. Assim, teremos servidores mais satisfeitos e com a produtividade melhor”, disse Denarium.

Conforme o secretário da Segad, Pedro Cerino, a Seplan é a vigésima terceira instituição a receber as atividades do programa. Até o momento já foram realizados mais de 10 mil atendimentos.

“Nossa intenção é atender todas as secretarias até meados de novembro. Depois, faremos um intervalo nos atendimentos de saúde que são realizados pelos acadêmicos estagiários e em fevereiro nós retomamos com esse trabalho. Mas durante esse período, nós estaremos fazendo atendimento nas secretarias com os demais serviços que contemplam o Cuidando do Servidor. A ideia é que depois desse retorno a gente possa também dar um diagnóstico do que foi encontrado no primeiro atendimento”, reiterou o secretário.

Outros cuidados, como spa das mãos, limpeza de pele, corte de cabelo, esmaltação e design de sobrancelhas, também fizeram parte da ação, bem como serviços do Procon Estadual, incluindo consultas consumeristas e orientações. Os servidores puderam ainda solicitar o cartão Clube de Benefícios do Servidor.

O secretário de Planejamento, Marcos Jorge de Lima, avaliou a iniciativa como de extrema importância para a valorização do servidor estadual. “Muitas vezes, nós cuidamos de todos e esquecemos de cuidar de nós mesmos. Então, essa ação do Governo de Roraima busca cuidar daqueles que são chefes da família, que cuidam dos filhos, dos netos, dos seus entes queridos e muitas vezes não param para cuidar de si mesmo”, frisou.

Publicado em DESTAQUES

Durante mesa redonda nesta terça-feira, 15, no 1º Workshop da Cadeia Produtiva do Algodão, produtores do setor algodoeiro do Estado compartilharam experiência e debateram sobre a consolidação da cultura do algodão em Roraima.

O evento, preparado pelo Governo de Roraima por meio da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), serviu para demostrar as características da cultura algodoeira. Além disso, foi debatido sobre quais são tipos de sementes utilizadas, cuidados no cultivo e esclareceram quais as dificuldades e etapas de na produção para se alcançar a qualidade na cadeia produtiva, que para os empresários significa agregar valor ao produto.

Com uma larga experiência no mercado, o produtor de algodão Afrânio Vebber participou mesa redonda compartilhado as experiências e desafios que teve para trazer o algodão par o Estado.

 “É muito importante o evento e parabenizo a Seapa e o Governo pela iniciativa de trazer essas pessoas para o Estado, são pessoas de renome que tem uma larga experiência em relação ao mercado do algodão e tudo isso contribui para nós que moramos aqui. Quando nós apostamos na cultura do algodão, apostamos por necessidade de encontrar alternativas que proporcionasse mais renda, trabalhamos sozinho, pagamos a conta e conseguimos trazer e mostrar que o algodão aqui em Roraima é produtivo”, enfatizou.

 SOLUÇÕES INOVADORAS - Entre os convidados para compor a programação do Workshop, veio o representante da FMC que é uma empresa global de produção, desenvolvimento e comercialização de produtos para proteção de cultivo, Bruno Giudicissi.

 Na apresentação, Bruno mostrou como a empresa trabalha na cultura do algodão. De acordo com ele, a ideia é está ao lado dos agricultores no desenvolvimento e implantação da cultura no Estado.

 “A FMC vai mostrar como trabalha na cultura do algodão, as nossas ferramentas, novas tecnologias e ferramentas que temos para lançar em curto período de tempo. É um prazer muito grande falar sobre o algodão que traz muita prosperidade para as regiões que chega a se instalar”, explicou.

A empresa Norte Americana do estado da Pensilvânia atua há 130 anos no Brasil, a PMC iniciou na produção de pulverizadores e tem como base segurança, integridade, sustentabilidade, respeito pelas pessoas, agilidade e foco no cliente. São os valores que pautam todas as ações da empresa no campo.

Atualmente a empresa investe 8% do ganho em produção de novas moléculas químicas e biológica, ou seja, investe em novos defensivos e novas sementes.

 Giudicissi destacou ainda dois pontos importantes que deve ser consideradas como desafios para que a empresa atue próximo de área de fronteira, que são: logística e informações locais.

 “Os principais desafios quando a gente fala de fronteira, uma região que fica na distante e longe de onde são produzidos os defensivos da indústria. O primeiro é a logística, que precisa de planejamento com antecedência e o segundo são as informações locais, que devem ser geradas aqui, no local de produção junto aos produtores”, destacou.

Publicado em DESTAQUES

Os corredores do Hemoraima (Centro de Hemoterapia e Hematologia de Roraima) foram tomados nesta terça-feira, dia 15, por uma grande quantidade de pessoas sensibilizadas com a tragédia envolvendo a explosão de cilindros de gás da empresa Oxigênio Centro Norte, localizado no bairro São Vicente. Na ocasião, quatro pessoas morreram e duas ficaram feridas, segundo informações do CBM-RR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima).

Conforme Isaías Magalhães, chefe da coleta de sangue da unidade, 80 bolsas de sangue foram coletadas em menos de 3 horas após o retorno das atividades do horário vespertino, um fato nunca registrado pela instituição. “Aquelas pessoas que estavam em jejum obviamente foram aconselhadas a almoçarem, para depois fazer a sua doação com segurança”, completou

Por conta da tragédia e pela presença maciça de doadores, a direção da unidade decidiu estender o horário de atendimento para até às 19 horas. O professor Márcio Cavalcante foi uma das pessoas que decidiram ceder um pouco do seu tempo para fazer o bem.

“Muitos grupos de mensagens estavam fazendo mobilizações, tanto que a visão aqui é da unidade lotada, mas a sensação que eu tenho é de estar fazendo a minha parte, contribuindo para quem mais precisa”, ressaltou.

Para ser um doador, o interessado em fazer a doação tem que ter entre 16 e 69 anos, sendo que doador abaixo de 18 anos precisa de autorização por escrito e estar acompanhado dos pais ou responsáveis legais, ter no mínimo 50 quilos, gozar de boa saúde, ter dormido bem na noite anterior a doação e comparecer até a unidade bem alimentado.

 É importante ressaltar ainda que a presença da população durante toda a semana é primordial para o fortalecimento do estoque da unidade. As doações precisam ser constantes, independentemente da situação, uma vez que alguns hemocomponentes têm validade de apenas cinco dias.

Publicado em DESTAQUES

O cultivo de algodão é uma das atividades mais rentáveis no setor primário. Onde há plantio dessa cultura, também há desenvolvimento econômico. Pensando em fomentar essa atividade em Roraima, a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) promoveu nesta terça-feira, dia 15, o 1º Workshop da Cadeia Produtiva do Algodão.

Com uma programação vasta que inclui especialistas que tratam desde o plantio até a comercialização, o evento contou com a presença de empresários do setor agropecuário, autoridades e do governador Antonio Denarium. O chefe do Executivo frisou que o Governo do Estado não tem medido esforços para atrair investidores, proporcionando o desenvolvimento econômico.

 “Nossa vocação é o setor primário, a pecuária, o plantio de grãos e o algodão é uma cultura que requer um alto investimento, mas o retorno também é alto. Temos atrativos em Roraima, nossas terras ainda são baratas e também temos condições climáticas e geográficas favoráveis. Temos que trabalhar para fortalecer este setor com emissão de licenças e tudo o que estiver ao alcance do Governo do Estado para destravar esse desenvolvimento”, declarou.

 Além da realização do workshop, a Seapa também trabalha de outras formas a introdução da cultura do algodão em Roraima. O titular da pasta, Emerson Baú, afirmou que, em parceria com o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), os técnicos fazem uma série de estudos e análises de produção.

 “A Embrapa [Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária] também é muito importante nesse processo de estudos. Temos aqui hoje o doutor Paulo Barroso, que foi um dos responsáveis pela liberação do algodão aqui na Amazônia. A Seapa hoje está nesse papel de demonstrar a importância e a estratégia dessa cultura para Roraima”, disse Baú.

 Trabalho de pesquisador da Embrapa possibilitou o plantio de algodão transgênico em Roraima

Até o ano de 2014, Roraima estava localizado em uma zona de exclusão de algodão transgênico. Como no Brasil a maioria dos cultivares é transgênica, isso praticamente impedia Roraima de plantar algodão. Para reverter esse quadro, o pesquisador da Embrapa, Paulo Barroso, iniciou um estudo para comprovar que a atividade não causaria nenhum tipo de dano ou prejuízo ao meio ambiente.

 “Atuei como facilitador. Produzi um documento para que se autorizasse Roraima a produzir algodão. O Estado ficava dentro de uma zona de exclusão de algodão transgênico, que foi criada pelo órgão do Governo Federal responsável pela liberação comercial de transgênicos no Brasil. Eu fui chamado pelos produtores dessa cadeia e eles pediram o auxilio da Embrapa para resolver esse problema”, explicou.

A Embrapa produziu um documento e apresentou à CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança) que avaliou e autorizou o plantio de algodão transgênico em Roraima. “As condições de Roraima são, sim, adequadas para o plantio de transgênico e não traria nenhum tipo de prejuízo a quem quer que fosse ou ao meio ambiente o cultivo intensivo de algodão aqui no Estado”, pontuou Barroso.

 Pioneiro no plantio de algodão em Roraima ressalta empenho do Governo em buscar desenvolvimento

O pioneiro no plantio de algodão em Roraima, Afrânio Webber, ressaltou a importância do Workshop. Para ele, a presença de consultores, técnicos e associações, é fundamental para tirar as dúvidas de quem deseja investir na cultura em Roraima. “É uma coisa muito boa que está acontecendo. As pessoas que estão aqui hoje são de credibilidade incontestável e estão trazendo mais essa alternativa”, afirmou.

Até a safra de 2018, Webber foi o único empresário do setor que arriscou investir no plantio de algodão em Roraima. Acreditando no potencial da cultura, ele começou em 2014 em uma área de 90 hectares. Na safra seguinte, em 2016, ele passou para 750 hectares e na última, em 2018, foram 1 mil hectares. A expectativa para a próxima safra é subir para 1,5 mil hectares.

 “Em 2020, contando comigo, teremos oito produtores investindo no plantio de algodão em Roraima. A expectativa é que juntos alcancemos a marca de 6 mil hectares. Assim como na soja, pretendemos avançar a cada ano”, anunciou o empresário.

 Especialista afirma que Roraima tem potencial para o plantio de algodão

O primeiro palestrante do Workshop, o consultor especialista em algodão Eleuisio Curvelo, falou sobre os sistemas de produção adequados para a produção de algodão no cerrado (conhecido no Estado como lavrado) de Roraima. Ele tem experiência nesse tipo de plantio em todos os estados onde a vegetação de cerrado é predominante.

 “Vamos passar um pouco da nossa experiência, mostrando como o produtor tem que entrar de maneira a ter boa produtividade, bom lucro, o sistema de produção de algodão como um todo e todas as suas etapas. E o cerrado é a vegetação ideal para essa atividade devido a questões climáticas de luminosidade, entre outros fatores”, disse.

Para uma possível safra em 2020, ele ressaltou que o Estado tem uma área de 6 mil hectares em potencial, uma vez que o cultivo de algodão não pode ser utilizado para abertura de áreas, ou seja, é necessário que outras culturas, como a pecuária e a soja, tenham sido executadas antes.

 “O algodão vai sempre acompanhando a soja e a integração lavoura-pecuária. O algodão não abre área, quem abre área é arroz, soja e gado. Geralmente, o algodão entra depois de cinco anos desses outros cultivos. O potencial em curto prazo seria de 6 mil hectares, a médio e longo prazo seria 100 mil hectares”, pontuou.

Curvelo também ressaltou algumas das vantagens que podem ser aproveitadas com o cultivo de algodão. A primeira delas é o alongamento do crédito. Quem tira crédito para algodão tem um prazo de um ano, em outras culturas esse prazo é de seis meses. O segundo é que todas as áreas que plantam algodão no Brasil são valorizadas, podendo cada hectare custar o preço de até 300 sacas de soja.

 “As terras em Roraima valem em torno de 50 sacas, então, ainda é muito barata e a entrada do algodão vai valorizar as terras. A terceira oportunidade é que o algodão é uma cadeia completa que vai do plantio até a roupa pronta. O Estado, à medida que o algodão for se implantando, pode aproveitar outros segmentos industriais como a fiação, tecelagem, confecção e assim por diante”, explicou.

Publicado em DESTAQUES

Com o objetivo de promover o estudo da Constituição Federal de 1988 (CF/88), a Seed (Secretaria de Educação e Desporto) promove o 1° Concurso de Redação sobre a Constituição Federal. A iniciativa está pautada na Lei Estadual N° 1.328, de 31 de julho de 2019, de autoria do deputado estadual Renato Silva.

O Concurso de Redação tem como tema “Jovem, conheça seus deveres e garanta os seus direitos” e está sendo coordenado na Seed pelo DEPE (Departamento de Desenvolvimento de Políticas Educacionais).

“O Concurso é para estimular a compreensão da Constituição Federal, despertar o interesse dos jovens, estimulando-os para uma posição mais crítica diante dos problemas sociais, políticos e torná-los mais atuantes na sociedade”, explicou a diretora do DEPE, Maria Aparecida de Oliveira.

Poderão participar do Concurso estudantes do 1° ano do Ensino Médio, regularmente matriculados na rede estadual de ensino em escolas da capital, interior e indígenas.

INSCRIÇÕES

O concurso já está sendo divulgado nas escolas. O edital e as fichas de inscrição estão disponíveis no endereço eletrônico: https://drive.google.com/open?id=1LaKBLMk4qRS_EJIigwcFNU_wIjrOOnw4. “As inscrições serão realizadas pelas escolas e efetivadas por meio do envio da redação em envelope lacrado à Seed, no período de 14 a 18 de outubro”, explicou a assessora técnica do DEPE, Ana Piúco.

Cada escola só poderá inscrever uma redação, selecionada entre todas as produzidas na instituição de ensino. Para auxiliar os alunos na produção das redações, serão realizadas palestras e também será utilizada a Cartilha Constituição em Miúdos. “A seleção das redações participantes ocorrerá em duas fases: a primeira, a cargo das escolas e a segunda, a cargo da Comissão Julgadora da Seed”, esclareceu Maria Aparecida.

As redações devem ser inscritas no Formulário de Redação, disponibilizado no endereço eletrônico do Concurso de Redação, de caneta preta ou azul, ter no mínimo 20 linhas e máximo de 30, ser devidamente identificada, inédita e original.

Os alunos vencedores do 1°, 2° e 3° lugares e os professores orientadores serão premiados. O 1° lugar receberá um tablet, 2° e 3° lugares receberão medalha e certificado. O professor orientador do aluno vencedor do 1° lugar receberá um notebook e do 2° e 3° receberão medalha e certificado.

Publicado em DESTAQUES

A rede estadual de ensino tem 7.515 professores, sendo 4.167 do quadro efetivo e destes, 464 docentes indígenas. Do quadro federal, são 682 professores entre indígenas e não indígenas.

 Os docentes atuam nas escolas da zona urbana e rural da Capital e Interior. Em todo o Estado são 383 escolas sendo 59 na Capital Boa Vista, 64 no interior em áreas rurais e 260 escolas localizadas em comunidades indígenas.

Atualmente o Governo do Estado de Roraima paga aos docentes um valor salarial acima do piso nacional estabelecido para a categoria. 

Enquanto o Piso Salarial determina o pagamento de R$ 2.557,74 para 40 horas semanais, o Estado paga a ordem de R$ 4.005,82 para a mesma jornada de trabalho para professor em início de carreira.

A remuneração varia conforme a formação (graduação, especialização, mestrado e doutorado) e jornada de trabalho (20h, 30h e 40h). 

Por exemplo, um professor com jornada de trabalho de 40h graduado, recebe R$ 6.527,32. Já o docente que possui doutorado com jornada de trabalho de 40h chega a receber  R$ 12.286,84.

Os valores estão estabelecidos na Lei N° 1030, de 21 de janeiro de 2016 que alterou e acrescentou dispositivos à Lei N° 892/2013, a qual dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações dos Servidores da Educação Básica do Estado de Roraima.

A secretária de Educação e Desporto Leila Perussolo, lembrou que a atual gestão encontrou a Secretaria de Educação com diversos problemas tanto na parte de estrutura física como de material e pessoal, mas, destacou o empenho da equipe de trabalho para vencer os desafios.

 “Além dos problemas encontrados, ainda estamos enfrentando a crise migratória e o Estado de Calamidade Pública Financeira. Mas aos poucos, com trabalho e esforço da equipe de Governo, vamos vencendo os desafios. Hoje os salários dos docentes estão em dia, o que demonstra o respeito da gestão com a classe. Continuaremos trabalhando para ofertar melhores condições de trabalho aos profissionais da Educação”, destacou a secretária de Educação e Desporto, Leila Perussolo.

 CONCURSO PÚBLICO - A Seed está trabalhando para realizar concurso público para a contratação de professores. 

O último concurso realizado na rede estadual de ensino foi em 2007. De lá para cá a demanda aumentou bastante na rede e para atender as escolas, nos últimos anos a Seed vem realizado processos seletivos.

O procedimento já foi alvo em 2016 de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) proposto pelo Ministério Público do Estado de Roraima e após inúmeras tentativas administrativas frustradas, o caso foi parar na Justiça e em 2017 o Estado foi condenado e houve a determinação para a realização de concurso público, que nunca ocorreu.

A atual gestão da Seed ciente da necessidade criou uma Comissão que está trabalhando para a organização do certame que inclusive já foi devidamente autorizada pelo governador Antonio Denarium. Os detalhes de vagas serão publicados em edital.

No momento a Comissão trabalha na organização da legislação pertinente, e também na reunião e análise das informações do Departamento de Recursos Humanos da Seed, Seplan (Secretaria de Planejamento), Segad (Secretaria de Gestão e Administração) e IPERR (Instituto de Previdência do Estado de Roraima) para subsidiar a organização do certame.

Após essa fase, as informações serão encaminhadas para a Segad, que será o órgão responsável pela organização do concurso. A intenção é realizar o certame ainda neste ano de 2019.

 

 

ASCOM/SEED

Publicado em DESTAQUES
Página 1 de 70