Sexta, 20 Março 2020 23:51

PCRR | Amplia número de tipos de ocorrências registradas na Delegacia Online Destaque

Escrito por ASCOM/POLÍCIA CIVIL
Com a ampliação dos tipos de crimes a serem registrados na Delegacia Online, a Polícia Civil oferta uma maior facilidade ao cidadão   Com a ampliação dos tipos de crimes a serem registrados na Delegacia Online, a Polícia Civil oferta uma maior facilidade ao cidadão Arquivo Pessoal

Lançada em Roraima no dia 25 de setembro de 2019 pela Delegacia Geral da PCRR (Polícia Civil de Roraima), a Delegacia Online, que em um primeiro momento registrava somente casos de extravios, de furtos simples e de preservação de direitos, ampliou o leque de registros para atender ainda mais ao cidadão. O NTI (Núcleo da Tecnologia da Informação) da Polícia Civil realizou os ajustes inserindo os novos tipos de crimes que podem ser registrados na Delegacia Online.

A partir de agora, acessando o site da Polícia Civil (www.pc.rr.gov.br), o cidadão clica em Delegacia Online e pode registrar o BO (Boletim de Ocorrência) de crimes como injúria, apropriação indébita, difamação, calúnia, extravio (tais como perdas de documentos e objetos, inclusive aparelhos celulares), estelionato, dano, constrangimento, furto simples, preservação de direito e maus tratos a animais.

Para o delegado geral de Polícia, Herbert de Amorim Cardoso, é extremamente importante que as pessoas atendam às orientações das Instituições de saúde dos governos Federal e do Estado, que têm divulgado resoluções, recomendações e até mesmo decretos, numa tentativa de evitar o avanço do novo coronavírus no Brasil.

Dessa forma, destaca Cardoso, com as medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (COVID-19), deliberadas pelo Consupol (Conselho Superior de Polícia) na última terça-feira, dia 17, os registros de BO’s deverão ser realizados de forma online e somente casos extremos podem ocorrer presencialmente.

“Neste aspecto, são considerados urgentes os casos de homicídios, latrocínios e remoções de cadáver; violência doméstica e contra crianças e adolescentes; casos em que possam ocorrer o perecimento da prova, demandando imediata intervenção policial; ainda os casos de estupro, sequestro, cárcere privado; os furtos e roubos de veículos, uma vez que há a necessidade urgente de se colocar a restrição no veículo por órgãos policiais; além de ações de grupos criminosos e quadrilhas e autos de prisão e de apreensão em flagrante”, define Cardoso.

Na Central de Flagrantes, que funciona na sede do 5º Distrito Policial, está totalmente suspenso o registro de BO. Nessa unidade policial serão atendidos somente os casos emergenciais que resultem em APF (Auto de Prisão em Flagrante) ou AAFAI (Auto de Apreensão do Ato Infracional).

Em nenhuma delegacia de polícia será permitida à aglomeração de pessoas. A permanência de pessoas alheias ao quadro de servidores só será permitida enquanto estiver ocorrendo o procedimento policial e com a presença exclusiva da pessoa envolvida no caso.

“A orientação é que as pessoas evitem se expor e que fiquem em casa. Desta forma, se surgir a necessidade de registrar um Boletim de Ocorrência, o cidadão deve fazer de forma online, acessando pelo computador, notebook ou telefone celular. Ampliamos o leque de atendimento para atendermos o maior número de pessoas possíveis. De forma presencial, somente será permitido o atendimento aos casos graves, que já destacamos”, disse Cardoso.